A porção desta semana da Torá, Reê, é sempre lida numa ocasião associada ao mês de Elul, seja no Shabat no qual começa o mês de Elul, seja em Rosh Chodesh Elul.

Reê tem início com o versículo: “Olhem, estou colocando perante vocês hoje a bênção…”. Este versículo refere-se ao fato de que a bênção, e a revelação da Divindade que a acompanha, está vindo do Alto. De fato, cada uma das palavras do versículo enfatiza essa abordagem:

Olhem: Ver implica o estabelecimento de uma conexão profunda e forte. Assim declaram Nossos Sábios: “ouvir não se assemelha a ver” – e eles proíbem uma testemunha ocular de atuar como juiz. Uma vez que alguém tenha visto algo errado sendo cometido, jamais será capaz de conceber uma virtude redentora para o réu. Em contraste, quando uma pessoa é informada sobre um acontecimento, tem permissão para atuar como juiz e de fato, todos os julgamentos dependem de ouvir este tipo de testemunho.

Qual o motivo para esta diferença? Ao ouvir, a pessoa aborda um conceito passo a passo, juntando todos os detalhes. Isso se assemelha a uma subida. Em contraste, ao ver, a pessoa é levada a um contato direto com um evento em sua totalidade, tudo de uma vez. Somente depois a pessoa se concentra nos detalhes. Isso reflete a abordagem da revelação do Alto.

Eu: “Anochi”. Isso se refere à essência de D-us da maneira mais elevada e ampliada. Em nosso versículo, a palavra hebraica “anochi” é usada em vez da mais comum, “ani”.

“Anochi” comunica um maior senso de orgulho e magnitude que “ani”.

Estou dando: O fato de que D-us está dando implica claramente um presente vindo do Alto.

Perante vocês: “lifneichem” em hebraico refere-se à palavra “p’nimiyut” – dimensão interior. Isso enfatiza a abordagem de revelação do Alto. Pois começamos concentrando-nos em nossa dimensão interior pessoal, nosso âmago, e então prosseguimos para as dimensões exteriores. Em contraste, seguir das exteriores para as interiores é mais um processo de elevar aquilo que está aqui para o Alto.

Hoje: Isso reflete os conceitos de luz e revelação, pois o dia é o tempo da luz. Está também associado com uma dimensão da eternalidade, como declaram Nossos Sábios: “Toda vez que a palavra “hoje” é usada, [a influência] é eterna.” E isso é possível porque envolve uma revelação do Alto, que não leva em consideração a natureza do recipiente.

Bênção: Refere-se obviamente a uma influência do Alto.

A ocupação do mês de Elul, no entanto, é um tipo totalmente diferente de trabalho. Pois em Elul, nosso exercício espiritual se concentra em nos elevar por meio de nossa própria iniciativa, e não por meio de “um presente do Alto”.

Onde, então, está a conexão entre nossa porção da Torá e o fato de que a lemos numa ocasião conectada ao mês de Elul?

A verdade é que como em Elul contabilizamos o estoque de todo o ano que passou, devemos corrigir quaisquer deficiências nestas duas áreas. Colocamos um enorme esforço para elevar a nós mesmos e nossos arredores através de nossa própria iniciativa, bem como nos transformando em receptáculos merecedores da inspiração de D-us e das bênçãos do Alto.